libras.com.br

Helen Keller


Helen Keller – escritora, conferencista e ativista social

Helen Adams Keller nasceu em 27 de junho de 1880, em Tuscumbia, no estado do Alabama (EUA), e faleceu em Westport, em 1 de junho de 1968. Reconhecida escritora e conferencista, além de ativista social. Filha de Arthur Keller, um homem influente, capitão de profissão, foi um veterano do exército confederado e prefeito do Alabama.

A Surdez

Keller perdeu a visão e a audição com apenas 19 meses de idade. Em 1882, ela contraiu uma doença chamada "febre cerebral" pelo médico da família - que produzia uma alta temperatura corporal. Atualmente, a verdadeira natureza da doença permanece um mistério, embora alguns especialistas acreditem que possa ter sido escarlatina ou meningite.

Embora de família influente, teve uma infância complicada, pois não teve inicialmente uma orientação adequada que lhe preparasse para aprender e relacionar-se com o mundo em sua volta. Ela desenvolveu muitos de seus próprios sinais para comunicar suas necessidades com os pais.

Durante esse período, Keller também se tornou muito rebelde e indisciplinada. Ela chutava e gritava quando zangada, e ria incontrolavelmente quando feliz. Além disso, infligiu birras furiosas aos pais.


Hellen Keller com seu Cachorro
1888 - Helen Keller aos 8 anos, com o cão da família, Jumbo. Fonte: Escola Perkins para Cegos.

A filha da cozinheira

Quando Helen Keller cresceu, ela desenvolveu um método limitado de comunicação com sua amiga, Martha Washington, a jovem filha da cozinheira da família. As duas haviam criado um tipo de comunicação por sinais. Embora não pudesse falar ou ouvir o que Martha estava dizendo, eles ainda podiam brincar juntos e ser muito criativos em se meter em problemas.

A instrutora Anne Sullivan

Quando Helen tinha seis anos, sua mãe entrou em contato com o Dr. Alexander Graham Bell (1847–1922), a quem ela ouvira que estava trabalhando em dispositivos para ajudar os surdos. Bell se encontrou com Helen e seus pais e sugeriu que entrassem em contato com o Instituto Perkins para Cegos em Boston, Massachusetts. Em março de 1887, Anne Sullivan (1866–1936), professora do instituto, passou a servir como professora de Helen. Anne tinha 21 anos e tinha suas próprias limitações de visão. Sullivan imediatamente começou a ensinar Helen a se comunicar, soletrando palavras na mão, começando com "boneca", para ajudar Keller a entender o presente de uma boneca que ela havia trazido.

A princípio, Keller ficou curiosa, depois desafiadora, recusando-se a cooperar com as instruções de Sullivan. Quando Keller cooperou, Sullivan percebeu que ela não estava fazendo a conexão entre os objetos e as letras soletradas em sua mão. Sullivan continuou trabalhando nisso, forçando Keller a passar pelo aprendizado.

À medida que a frustração de Keller crescia, as birras aumentavam. Por fim, Sullivan exigiu que ela e Keller ficassem isolados do resto da família por um tempo, para que Keller pudesse se concentrar apenas nas instruções de Sullivan. Eles se mudaram para uma cabana na plantação.

Em uma luta dramática, Sullivan ensinou a Keller a palavra "água"; ela a ajudou a fazer a conexão entre o objeto e as cartas, levando Keller para a bomba de água e colocando a mão de Keller sob o bico. Enquanto Sullivan movia a alavanca para liberar água fria sobre a mão de Keller, ela soletrou a palavra água na outra mão de Keller. Keller entendeu e repetiu a palavra na mão de Sullivan. Keller mudou-se para outros objetos com Sullivan acompanhando. Ao cair da noite, ela aprendeu 30 palavras. Isso abriu um novo mundo de aprendizado para Helen.

Helen Keller e Anne Sullivan tornaram-se amigas inseparáveis. Estavam juntas dia e noite, constantemente soletrando na mão as palavras e idéias das coisas acontecendo ao seu redor. Helen aprendeu rápido. Em apenas três anos, ela aprendeu o alfabeto manual (língua de sinais), o alfabeto Braille (um alfabeto criado por Louis Braille [1809–1852] para cegos que dependem de pontos altos para se comunicar) e sabia ler e escrever.

Como Helen Keller aprendeu a falar

Helen queria aprender a falar e, em 1890, começou a ter aulas de fala na Escola Horace Mann para Surdos, em Boston. Ela trabalhou incansavelmente para aprender a falar. Após vinte e cinco anos de trabalho e prática, Helen conseguiu falar com uma voz que os outros pudessem entender.

Seu desejo de se comunicar com os outros a leva a aprender a falar e a "ouvir" o discurso das pessoas lendo os lábios com as mãos, através do método de Tadoma (consiste em tocar a garganta e os lábios da pessoa que fala combinado com dactilogia na palma da mão).

Hellen Keller e Anne Sullivan
1894 - Anne Sullivan lê em voz alta para Helen Keller. A mão esquerda de Keller toca os lábios de Sullivan para sentir as vibrações das palavras de Sullivan (método de Tadoma). Fonte: Escola Perkins para Cegos.

Educação formal

De 1894 a 1896, Helen frequentou a Escola Wright-Humason para Surdos. Aqui, ela continuou a trabalhar para melhorar sua comunicação, além de matemática, francês, alemão e geografia. Dessa maneira, Helen se preparou para a faculdade e seguiu para a Cambridge School for Young Ladies. Anne Sullivan assistiu a todas as aulas com Helen e interpretou as palestras e os livros para ela, pois não estavam em Braille. Quando tinha dezesseis anos, Keller havia passado nos exames de admissão no Radcliffe College; em 1904, ela se formou com honras, obtendo o diploma de bacharel em artes. Tudo isso foi feito com a ajuda de Anne Sullivan na interpretação das palestras e textos.

A morte de Anne Sullivan

Keller trabalhou com sua professora Anne Sullivan por 49 anos, de 1887 até a morte de Sullivan, em 1936. Em 1932, Sullivan experimentou problemas de saúde e perdeu completamente a visão. Uma jovem chamada Polly Thomson, que começou a trabalhar como secretária de Keller e Sullivan em 1914, tornou-se companheira constante de Keller após a morte de Sullivan.

Dedica a via a ajudar os outros

Quando jovem, Keller ficou determinada a aprender sobre o mundo e a melhorar a vida de outras pessoas. Com discernimento, energia e profunda devoção à humanidade, ela deu palestras em todo o mundo, trabalhou para encaminhar suas idéias no Congresso e escreveu milhares de cartas pedindo contribuições para financiar esforços para melhorar o bem-estar dos cegos. Ela visitou hospitais e ajudou soldados cegos. Ela ensinou os cegos a serem corajosos e a tornarem suas vidas ricas, produtivas e bonitas para os outros e para si mesmos.

Keller associou-se a algumas das maiores personalidades de seu tempo, incluindo Alexander Graham Bell (1847-1922), Mark Twain (1835–1910), Andrew Carnegie (1835–1919), John D. Rockefeller (1839–1937) e os presidentes Grover Cleveland ( 1838-1908), Calvin Coolidge (1872-1933) e Woodrow Wilson (1856-1924).

Durante sua vida notável, Keller permaneceu como um exemplo poderoso de como determinação, trabalho duro e imaginação podem permitir que um indivíduo triunfe sobre as adversidades. Superando condições difíceis com muita persistência, ela se transformou em uma ativista respeitada e de renome mundial que trabalhou para o bem dos outros.

Prêmios e honras de Helen Keller

Durante sua vida, ela recebeu muitas honras em reconhecimento por suas realizações, incluindo a Medalha de Serviço Distinto de Theodore Roosevelt em 1936, a Medalha Presidencial da Liberdade em 1964 e a eleição para o Hall da Fama das Mulheres em 1965.

Keller também recebeu doutorado honorário na Temple University e na Harvard University e nas universidades de Glasgow, na Escócia; Berlim, Alemanha; Delhi, Índia; e Witwatersrand em Joanesburgo, África do Sul. Foi nomeada bolsista honorária do Instituto Educacional da Escócia.

Livros publicados

Aos 22 anos, Keller publicou sua autobiografia "A História da Minha Vida" (1903), incluindo palavras que Keller escreveu e a história de sua vida até os 21 anos. Em 1908, ela escreveu "O Mundo em que Vivo", dando aos leitores uma visão de como ela se sentia. Também escreveu "Optimismo - um ensaio", "A Canção do Muro de Pedra", "Lutando Contra as Trevas", "A Minha Vida de Mulher", "Paz no Crepúsculo", "Dedicação de Uma Vida" e "A Porta Aberta".

Os últimos dias de Helen Keller

Keller morreu dormindo em 1 de junho de 1968, apenas algumas semanas antes de completar 88 anos. Keller sofreu uma série de derrames em 1961 e passou os anos restantes de sua vida em sua casa em Connecticut.


Hellen Keller
1960 - Helen Keller lendo um livro em braille. Fonte: Escola Perkins para Cegos.

Frases de Helen Keller


Raramente penso nas minhas limitações e elas nunca me deixam triste. Talvez haja apenas um toque de desejo às vezes; mas é vago, como uma brisa entre flores.

Helen Keller
Escritora, conferencista e ativista social


Tenho o desejo de realizar uma tarefa importante na vida. Mas meu primeiro dever está em realizar humildes coisas como se fossem grandes e nobres.

Helen Keller


Seu sucesso e felicidade estão em você. Resolva manter-se feliz, e sua alegria e você formará um anfitrião invencível contra dificuldades.

Helen Keller


A experiência humana não seria tão rica e gratificante se não existissem obstáculos a superar. O cume ensolarado de uma montanha não seria tão maravilhoso se não existissem vales sombrios a atravessar.

Helen Keller


Tudo o que amamos profundamente converte-se em parte de nós mesmos.

Helen Keller


Quando uma porta da felicidade se fecha, outra se abre, mas costumamos ficar olhando tanto tempo para a que se fechou que não vemos a que se abriu.

Helen Keller


As melhores e mais belas coisas do mundo não podem ser vistas nem tocadas; elas devem ser sentidas com o coração.

Helen Keller


Vídeos Compartilhados

Anne Sullivan ensinando a palavra "água" para Helen Keller. Cena do filme "O Milagre de Anne Sullivan". Fonte: Laura Conceicao

Referências:

MONTGOMERY OF DEVELOPMENTAL DISABILITIES SERVICES. Helen Keller - Biography. Disponível em: <https://www.mcbdds.org/287/Helen-Keller>. Acesso em: 03 Dez. 2019

BRAINYQUOTE. Helen Keller Quotes. Disponível em: <https://www.brainyquote.com/authors/helen-keller-quotes>. Acesso em: 03 Dez. 2019

ENCYCLOPEDIA OF WORLD BIOGRAPHY. Helen Keller Biography. Disponível em: <https://www.notablebiographies.com/Jo-Ki/Keller-Helen.html>. Acesso em: 03 Dez. 2019

BIOGRAPHY. Helen Keller Biography. Disponível em: <https://www.biography.com/activist/helen-keller>. Acesso em: 03 Dez. 2019

ENOTES. Who was Martha Washington? How was she Helen's good companion?. Disponível em: <https://www.enotes.com/homework-help/who-was-martha-washington-how-was-she-helens-good-735232>. Acesso em: 03 Dez. 2019

Informações do Artigo:

Publicado: 01/06/18 | Atualizado: 19/03/20 | Acessos: 4836

ALMIRC_RD

Autor:
ALMIR CRISTIANO

© Todos os direitos reservados. Para a reprodução de trechos de texto e/ou imagens é necessário citar o nome do autor, a página https://www.libras.com.br/surdos-famosos-helen-keller e a data de acesso.

Fale Conosco