O que é Surdez?


O QUE É?

A surdez pode ser definida segundo três pontos de vista: ponto de vista médico, educacional e cultural.

Ponto de vista médico

Surdez do ponto de vista médico


Em termos médicos, a surdez (ou hipoacúsia) é categorizada de acordo com o nível da perda auditiva, que podemos chamar também de grau da perda auditiva:

  • Audição normal: pessoas com audição normal ouvem em torno de 20 decibéis. Para facilitar a compreensão deste volume, citamos um sussurro, o roçar das folhas, o canto dos passáros, o tic-tac de um relógio, uma torneira pingando. Se a pessoa conseguir ouvir somente sons acima de 20 decibéis, possui perda auditiva.

  • Perda auditiva leve: pessoas com perda auditiva leve possuem certa dificuldade em manter uma conversa a dois em tom de voz baixa, quase sussurrando. Em média o som mais suave experimentado está entre 25 a 40 dB (decibéis), por exemplo: o motor de uma geladeira, um ar-condicionado.

  • Perda auditiva moderada: pessoas com perda auditiva moderada têm muita dificuldade de manter um diálogo, não ouvem bem quase nenhum som em nível de voz natural, sendo preciso falar alto para que ouçam. Em média o som mais suave experimentado está entre 40 a 70 dB (decibéis), por exemplo: um aspirador de pó moderado, um bebê chorando.

  • Perda auditiva severa: pessoas com perda auditiva severa não ouvem nenhum som de fala, poucos sons são percebidos. Em média o som mais suave experimentado está entre 70 a 90 dB (decibéis), por exemplo: um piano tocando forte, uma avenida de tráfego intenso, um cachorro latindo forte, um telefone tocando em volume máximo.

  • Perda auditiva profunda: pessoas com perda auditiva profunda ouvem pouquíssimos sons. Em média, o som mais suave experimentado é acima de 90 dB (decibéis) ou mais, por exemplo: um helicóptero próximo, a decolagem de um avião a jato, uma moto sem escapamento, uma serra elétrica, uma furadeira, uma britadeira, motossera, tiro de arma de fogo, estrondo de rojão, vuvuzela, bateria de escola de samba, show de rock.

De acordo com o decreto 5.626, de 22 de dezembro de 2005, Art. 2º:

[...] considera-se pessoa surda aquela que, por ter perda auditiva, compreende e interage com o mundo por meio de experiências visuais, manifestando sua cultura principalmente pelo uso da Língua Brasileira de Sinais - Libras.

Parágrafo único. Considera-se deficiência auditiva a perda bilateral, parcial ou total, de quarenta e um decibéis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas freqüências de 500Hz, 1.000Hz, 2.000Hz e 3.000Hz.

Ponto de vista educacional

Surdez do ponto de vista educacional


Do ponto de vista educacional, a surdez refere-se à dificuldade da criança surda aprender a se comunicar por via auditiva, tornando necessária medidas educacionais que possibilitem a comunicação como um instrumento de inclusão social.

A partir da lei nº 10.436, o governo brasileiro reconhece a Libras como um sistema lingüístico de natureza visual-motora, com estrutura gramatical própria e assegura aos surdos o direito de que, nas instituições educacionais, tenham aulas ministradas em Libras, ou pelo menos, com a presença de um intérprete de Libras.

Ponto de vista cultural

Surdez do ponto de vista cultural


Em termos culturais, a surdez não é considerada somente uma condição fisiológica, ela constrói uma identidade cultural própria, portanto, não existe cultura surda sem surdez. O idioma natual dos surdos, a língua de sinais, é o principal elemento que une os membros desta comunidade, assim, o sentido da cultura surda é mais forte entre aqueles que utilizam este idioma. Isso porque os surdos utilizam-se da própria diferença linguística como forma de elevar a auto-estima e sentir orgulho de suas próprias conquistas.


Símbolo Internacional da Surdez
Símbolo Internacional da Surdez. No Brasil, determinado pela lei Lei nº 8.160, de 1991

Vídeos Compartilhados

O que é surdez profunda? | Ativa/desativa legenda. Fonte: Larissa Jorge


Você sabe o que é Surdez? | Nerdologia. Fonte: Nerdologia

Referências:

BRASIL. DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm>. Acesso em: 16 Nov. 2019.

BRASIL. LEI Nº 10.436, DE 24 DE ABRIL DE 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm>. Acesso em: 16 Nov. 2019.

BRASIL. LEI Nº 8.160, DE 8 DE JANEIRO DE 1991. Dispõe sobre a caracterização de símbolo que permita a identificação de pessoas portadoras de deficiência auditiva. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8160.htm>. Acesso em: 17 Nov. 2019.

DEPARTMENT OF OTOLARYNGOLOGY – HEAD AND NECK SURGERY, UNIVERSITY OF CA. Speech Banana Audiogram. Disponível em: <https://ohns.ucsf.edu/audiology/education/peds>. Acesso em: 16 Nov. 2019.

Informações do Artigo:

Publicado: 02/09/18 | Atualizado: 19/03/20 | Acessos: 22541

ALMIRC_RD

Autor:
ALMIR CRISTIANO

© Todos os direitos reservados. Para a reprodução de trechos de texto e/ou imagens é necessário citar o nome do autor, a página https://www.libras.com.br/o-que-e-surdez e a data de acesso.

Fale Conosco